segunda-feira, 22 de abril de 2013

"Artes na Sala de Aula" encerra a IV Coordenação coletiva Especial/2012


O encerramento da IV Coordenação coletiva Especial colocou o “Artes na Sala de Aula” para que os professores pudessem compreender a sua importância, pois tantas vezes são vistas por muitos educadores como “aquele momento do descanso, em que os alunos ficam quietos, envolvidos em expressar sua arte da forma e com as cores que mais são do seu agrado, transitando na sala em busca de borracha ou outras cores emprestadas, e às vezes até trocando ideias uns com os outros”.



Mas bem ao contrário, estes momentos tão apreciados pelos alunos tem um valor inestimável para “o desenvolvimento da sensibilidade, percepção e imaginação, tanto ao realizar formas artísticas quanto na ação de apreciar e conhecer as formas produzidas por ele e pelos colegas, pela natureza e nas diferentes culturas.” (PCN, 2001, p.19).

A Educação em arte é uma prática ligada à produção e reconstrução de suas experiências, conhecendo a arte o aluno torna-se capaz de perceber sua realidade cotidiana mais vivamente, reconhecendo objetos e formas que estão à sua volta. Solicitando todos os sentidos como portas de entrada para uma compreensão mais significativa. è uma das melhores maneiras de se expor e situar-se no mundo , tempo e espaço.

Este trabalho evidência a importância de uma educação de qualidade onde o professor deve criar um ambiente de construção e de descoberta encorajando as crianças a desenvolver a sua criatividade. Assim o professor conduz o ensino proporcionando mais prazer na construção do conhecimento artístico, despertando na criança o prazer de criar.

A Educação Artística é fragmentada muitas vezes pela falta de visão e de preparação do professor em trabalhar artes no desenvolvimento do aluno.

A Arte seja ela usada de forma espontânea ou com o professor introduzindo técnicas, sempre dá prazer e melhora a autoestima

Na arte-Educação, o que importa não é o produto final obtido; não é a produção de boas obras de artes. Antes, a atenção deve recair sobre o processo de criação pelo qual o educador deve elaborar seus próprios sentimentos em relação ao mundo a sua volta. (DUARTE JUNIOR, 1988, p.73).

A supervisora pedagógica Franci Barros, alfabetizadora e especialista em Artes, promoveu atividades artísticas com os professores que puderam sentir a realidade do sentir bem consigo mesmo quando se faz um trabalho artístico: essa é a mensagem que deixou para cada professor pudesse proporcionar também aos seus alunos.

Houve momentos também de troca de experiências de técnicas artísticas que podem ser usadas na sala de aula.

“O ensino de arte deve propiciar um espaço favorável às descobertas realizadas pela criança, permitindo assimilá-las, transformá-las e expressá-las de forma natural e prazerosa”.


IV Coordenação Coletiva Especial - 2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este espaço virtual educativo, publicando as atividades da Escola, ficará mais rico com seu comentário, sugestão ou crítica. Deixe sua mensagem e volte sempre. E obrigada pela visita!